...leia aqui crônicas, veja as artes, soluções diversas...

Luiz Komoda




(18) 3222-4506
(18) 98806-7622 (oi)

Presidente Prudente

komoda@kompre.com.br

Dia de ex-vivos (foi publicado no dia de FINADOS 2013)

31/03/2014 11:22

                                              Dia de ex-vivos

Contraditoriamente, Finados é o dia que comemora o dia “dos mortos” ou “ex-vivos”, mas se  você procurar o “dia dos vivos” não encontrará. Qual seria a razão dessa fixação pela morte? Uma das razões é que as pessoas tem fascínio pelo desconhecido e querem adentrar nesse meandro. A outra é que, desde que o vilão chamado pecado (transgressão da Lei de Deus segundo 1 João 3:4 ) entrou no mundo, temos a tendência de cultivar coisas macabras ao invés das que emanam vida (vide como cresceu o volume de notícias mortais na midia contemporânea).

É claro que também existe o lado positivo do Finados, de separar um dia para lembrar dos entes queridos que não se encontram mais entre nós.

Com o assunto Finados em foco, é oportuno considerar alguns detalhes atrelados a esse dia e fatos. Uma frase comum citada diante de falecimentos (a tentativa é até válida porém ingênua e inverdadeira) de querer consolar os enlutados,  é “Deus quis assim”. Chegaremos a outra conclusão caso analisemos criticamente esse ditado com o que o Próprio Deus diz em Sua Palavra, a Bíblia Sagrada: “Diga-lhes: Juro pela minha vida, palavra do Soberano, o Senhor, que não tenho prazer na morte dos ímpios, antes tenho prazer em que eles se desviem dos seus caminhos e vivam. Voltem! Voltem-se dos seus maus caminhos! Por que o seu povo haveria de morrer, ó nação de Israel?”. Ezequiel 33:11. A verdade desse texto é: Deus nunca quis ou deseja a morte de pessoa nenhuma!

Outra frase citada diante do esquife (o agravante é ser pronunciada por líderes religiosos) é: “o irmão (ã) já está lá na glória, no céu, com Deus”. O Próprio Jesus esclareceu aos discípulos o que ocorre com a morte de qualquer pessoa, no caso Ele referiu-se à morte do amigo Lázaro: “Depois de dizer isso, prosseguiu dizendo-lhes: "Nosso amigo Lázaro adormeceu, mas vou até lá para acordá-lo. Seus discípulos responderam: Senhor, se ele dorme, vai melhorar. Jesus tinha falado de sua morte, mas os seus discípulos pensaram que ele estava falando simplesmente do sono. Então lhes disse claramente: Lázaro morreu”. João 11:11 a 14. Jesus deixou bem claro: Lázaro morreu e isso significa que ele entrou no SONO da morte.

Detalhes desse sono a própria Bíblia Sagrada fornece em Eclesiastes 9: 5 a 6 e 10: “Pois os vivos sabem que morrerão, mas os mortos nada sabem; para eles não haverá mais recompensa, e já não se tem lembrança deles. Para eles o amor, o ódio e a inveja há muito desapareceram; não tem parte em nada do que acontece debaixo do sol. O que as suas mãos tiverem que fazer, que o façam com toda a sua força, pois na sepultura, para onde você vai, não há atividade nem planejamento, não há conhecimento nem sabedoria”. Morto está morto, é zero sua participação em qualquer coisa na Terra ou no Céu! Nem no céu, nem no inferno.

A confusão existe pelo desconhecimento da palavra original “inferno”, ela tem três significados: “sheol” significa “sepultura” então fica correto dizer que quem morre vai pro inferno-sepultura. Outra palavra é “Hinon” que era o crematório em Jerusalém na época em que Jesus referiu-se como sendo o local “onde o verme não morre e o fogo nunca se acaba” (Marcos 9:43 a 48) isso é correto pois no crematório, similar a uma siderúrgica, o fogo não podia ser extinto e sempre havia vermes de cadáveres de homens e animais ali. A terceira palavra é “hades” esta sim refere-se ao estado de fogo que consumirá todos ímpios e imperfeições da Terra mas somente o será no dia do Juízo Final. Hoje não existe inferno de fogo eterno em local nenhum.

Sendo assim, poderíamos chegar à conclusão de que, exceto Jesus que ressuscitou e mora agora no Céu, ninguém mais lá estaria. Mas algumas pessoas estão sim, segundo a Bíblia descreve: Enoque que “Deus o tomou” (ver Gênesis 5:24 e Hebreus 11:5 ), Elias arrebatado em carruagem de fogo (ver 2 Reis 2:1 a 11) e Moisés, o primeiro ressuscitado na sequencia bíblica e que apareceu ao vivo para conversar com Jesus, junto com o outro que nem passou pela morte:  “Seis dias depois, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João e os levou a um alto monte, onde ficaram a sós. Ali ele foi transfigurado diante deles. Suas roupas se tornaram brancas, de um branco resplandecente, como nenhum lavandeiro no mundo seria capaz de branqueá-las. E apareceram diante deles Elias e Moisés, os quais conversavam com Jesus”. Marcos 9: 2 a 4.

E outros 24 anciãos estão agora no Céu, descritos por Apocalipse  4: 4 a 11 / 11: 16 e 17. Depois disso não há registro de outros humanos vivos no Céu, pois após a ressurreição de Jesus ninguém mais o foi, isso inclui todos discípulos, Maria, etc que hoje estão no Sheol (sepultura) dormindo o sono da morte aguardando a volta de Jesus que os virá ressuscitar e resgatar, aí sim, para o seu reino de glória. Jesus confirma isso em Daniel 12: 2 e 3, Apocalipse 22: 12 e João 14: 1 a 3 e o capítulo todo de Mateus 24.

Portanto, ex-vivo justo que dorme o doce sono da morte , está guardado pelos santos anjos para serem ressuscitados na volta de Jesus e gozarem de Sua feliz companhia para sempre.
Deus valoriza tanto a vida da pessoa justa e remida que chama-a de “preciosa”: “Preciosa é à vista do Senhor a morte dos seus santos”. Salmos 116:15. Porque essa não é a morte definitiva, a segunda, que será sim a morte eterna. Este “sono” é estado temeporário até a volta de Jesus anunciada milhares de vezes na Bíblia Sagrada.

Ele deseja que estejamos incluídos em um desses grupos: ou dos que, mesmo que tenham que ir para o sheol – sepultura , serão ressuscitados como Moisés ou dos que nem precisarão morrer, como Enoque e Elias (1 Coríntios 15: 50 a 25). Está escrito.

Luiz Komoda, designer e adventista do sétimo dia, escreveu durante 13 anos, a coluna Cotidiano Bíblico no jornal diário O Imparcial, de Presidente Prudente, SP. Pesquisa Bíblia, design, saúde natural, etc.
www.komoda.com.br