...também leia aqui crônicas, veja as artes, etc...

Luiz Komoda




(18) 3222-4506
(18) 98806-7622 (oi)

Presidente Prudente

komoda@kompre.com.br

Bilhões de Mães - texto publicado em O IMPARCIAL no dia 8 maio 2014

09/05/2014 07:54

 

A primeira mãe, original, surgida na Terra foi chamada de Eva , ou seja, “mãe de todos viventes”. A pergunta é: Como ter certeza de que isso é verdadeiro e não “história da carochinha” como muitos consideram a criação do universo mais a raça humana relatadas em Gênesis 1 e 2 da Bíblia Sagrada?

A resposta é muito simples e clara: a maior prova da veracidade literal de Gênesis 1 e 2, da atuação do Deus Criador Jesus (identificado em Colossenses 1: 12 a 16) é a existência da sua, minha, nossas mães de todos os tempos. Sem a existência da matriz original – casal Adão e Eva – não existiriam mães derivadas, que cumpriram e cumprem a primeira ordem bíblica, de Gênsis 1:28: “E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra”. Esta população está hoje estimada em 7,2 bilhões de humanos, segundo informa o relatório da Fundação Alemã de População Mundial.

Esta pluralidade de mães hoje existentes na Terra, atesta, em bilhões de vezes, que a teoria da Evolução é argumento equivocado pois não consegue explicar a origem das mães, seres reais existentes desde o Éden. Coisa complicada e difícil de entender e aceitar (embora haja muitos adeptos) é essa teoria que tenta explicar que nossa mãe derivou de um ser unicelular que tornou-se pluricelular, passou pelo estágio de macaca e daí então evoluiu para o maravilhoso ser humano que ela é (e tudo isso expontaneamente, sem nenhum autor superior que administrasse esse surgimento).

Ao contrário disso, o Criacionismo bíblico explica, de maneira muito simples, que o Ser inteligente chamado Jesus Cristo organizou tudo em cinco dias literais, de 24 horas, da primeira-feira até quinta-feira, o ambiente para o casal criado na sexta-feira usufruir da companhia de Seu Criador no sábado, sétimo dia. Obs.: o Jesus que conhecemos, se desejasse criar o mundo em 6 horas, ou minutos, ou segundos ou bilionésimos de segundo assim o faria tem todo o poder para fazê-lo.  Mas Ele escolheu dia de 24 horas para nossa referência e parâmetro, dimensão que nossa capacidade consegue abarcar, viu só que Deus cuidadoso e carinhoso nós temos? Faz tudo pensando sempre em nosso benefício!

Este fato foi o ponta-pé inicial que desencadeou o surgimento de bilhões de mães, uma delas é a sua e a outra, minha.  Esta já faleceu mas, graças a ela, estou aqui argumentado com você, que, graças a sua mãe, está vivo,  concordando ou discordando destas idéias.

E a idéia final é a seguinte: confrontar a teoria da Evolução (surgimento da vida através de evolução de espécies, uma delas, macaca originadora da raça humana,  segundo grandes cientistas) com o Criacionismo bíblico (o Autor Jesus Cristo criou Eva que tornou-se a matriz humana – mãe de todos nós – para o processo chegar até nossas mães.  Deus perfeito criou Eva perfeita, sem nenhuma necessidade de evolução. A perda temporária dessa perfeição é outra história, mas o fato é que nossas mães não são perfeitas hoje mas o serão no futuro e são criaturas maravilhosas, filhas do Deus Perfeito. Sem as mães nem teríamos chance de estarmos aqui).

Você e eu, assim como os evolucionistas (adeptos do Evolucionismo) todos tivemos nossas respectivas mães e Gênesis 1:26 diz que fomos criados à imagem e semelhança de Deus. Então temos sabedoria suficiente para decidirmos qual argumento escolher. Jesus ficará feliz se nós escolhermos, livremente, a teoria Dele, o Criacionismo. E bilhões de mães (Eva e as respectivas mães derivadas) agradecerão porque não conceberam em vão estes bilhões de filhos da mãe que honram pai e mãe. Este “honrar pai e mãe” é o quinto dos 10 mandamentos de Êxodo 20 e Deuteronômio 5.  Até nisso nossas queridas mães propiciam-nos a chance de mostrar fidelidade a Jesus.

Está escrito na Bíblia Sagrada.

 

Luiz Kazuo Komoda, Designer, fotógrafo e adventista do sétimo dia, escreveu durante 13 anos, a coluna Cotidiano Bíblico no jornal diário O Imparcial